PUBLICIDADE
Topo

Aprenda a se vender! Veja dicas para mostrar suas diversas habilidades

Andre Noel

22/08/2020 04h00

Freepik

O que você sabe?

As pessoas que me acompanham sabem algumas coisas que eu sei. Elas sabem que eu desenho tirinhas, que sou programador, que domino as artes milenares das gambiarras. Mas talvez não saibam que eu sei um pouco de francês e que eu sei montar o cubo mágico.

Na área de T.I., é comum termos que aprender muitas coisas de muitas sub-áreas, até por isso é comum que as pessoas acreditem que fazemos de tudo o que está relacionado com computador (programação, formatação, instalação, etc.). Você aprende a mexer com o computador, aprende como funciona, aprende a programar, aprende uma ou mais linguagens de programação, aprende vários detalhes técnicos da computação como funcionamento de redes, compartilhamento, comunicação, processamento, etc.

Mesmo sabendo diversos conteúdos, é comum não nos sentirmos qualificados ou ainda não sabermos deixar claro o que sabemos. Parte pela conhecida "síndrome do impostor", parte pelas vagas de emprego apresentadas com exigências de um Super-Homem ou mesmo pela falta de habilidade em marketing pessoal. Assim, o nosso conhecimento às vezes fica só em nossa cabeça e em nossos códigos, como um segredo guardado entre você e a máquina.

Há um programa disponível na Netflix chamado "Comedians in cars getting coffee", que acho muito bom por juntar o Seinfeld, comediantes e café (os carros são legais também), onde teve um episódio em que o Seinfeld e o Alec Baldwin estavam conversando sobre pessoas que acham que seriam bons comediantes, mas não arriscam. Eles comentam que as pessoas se acham boas e que um dia vão simplesmente encontrá-las ali, como se houvesse uma "Comissão do Show Business" que fosse até a sua casa, bater na sua porta e dizer que você tem um talento enorme, por isso vieram te levar porque precisam de você. E não é assim, ninguém vai saber de bons comediantes se esses não se apresentarem em "open mics", se não arriscarem, se não fizerem algo que as pessoas vejam.

Com programadores (ou demais profissionais) funciona parecido, seu talento permanece escondido até que você o apresente para alguém. Seu conhecimento é muito bom para você, mas quando você o divide, você o multiplica.

Então, como fazer as pessoas saberem o que você sabe?

Primeiro, não estou dizendo que elas vão ter o mesmo conhecimento que você tem, porque o seu conhecimento é algo único, fruto de uma combinação de conhecimentos de sua história de vida que ninguém mais tem. Mas digo em relação às pessoas saberem que você sabe algo.

A dica é simples, mas ela pode se ramificar em diferentes formas: Compartilhe!

Você pode juntar alguns colegas de trabalho e apresentar seu conhecimento a eles, como se fossem mini talks, onde simplesmente você ensina algo. Como benefícios imediatos, você sempre aprende algo mais que algum colega complementa no momento e também você se torna referência para eles em algum assunto que você sabe.

Escreva o que você aprende, escreva o que você sabe e ensine outros através disso. Crie um blog ou algo parecido para escrever o seu conhecimento, tutoriais ou documentações, para que as pessoas possam aprender e ter uma referência quando precisarem de algo. Daí você diz: "Ah, mas um blog? As pessoas ainda fazem isso?" Bom, você está lendo um agora. Além disso, ainda é a forma mais indexável e a forma que você vai ser encontrado quando buscarem sobre esse assunto. É uma outra forma de se tornar referência em algum conhecimento.

Crie e apresente palestras sobre algum assunto que você domina. O que você sabe sempre é algo que alguém, em algum lugar, precisa e está buscando. Existem vários eventos (online ou não) para as mais diferentes áreas e os mais diferentes níveis, que aceitam submissão de palestras e abrem espaço para você apresentar o seu conhecimento. É uma ótima forma de deixar muito claro que você conhece sobre o assunto e quem procura alguém que sabe sobre o assunto vê a pessoa no palco como uma referência. Mas tenha cuidado, aqui vale um alerta porque você não deve palestrar sobre qualquer coisa, é fácil ver quem quer palestrar sobre algo e que está enrolando ou se perde no conhecimento. Não busque o palco pelo palco, mas busque compartilhar o conhecimento, porque realmente é uma forma muito boa de se apresentar e também de aprimorar o que você sabe.

Crie conteúdo sobre o que você sabe. Aqui é a parte mais geral e mais genérica, porque há muitas formas de conteúdo que você pode gerar: vídeos, videoaulas, cursos, podcasts, até mesmo tirinhas… 🙂 Existem muitas formas criativas de apresentar o conhecimento, você não precisa fazer todas, escolha uma que lhe deixa confortável e que tenha mais a ver com você e com o conteúdo.

Resumindo, não fique escondido, não pense que vão te encontrar porque o seu código é muito bonito e muito bem indentado. Não pense que vão te achar porque o seu github é todo verdinho ou porque você entrega tudo no prazo. Deixe as pessoas saberem que você sabe algo.

"Ah, mas esse post é só um incentivo para inflar o ego e se exibir…" Não! É mais um incentivo a compartilhar e a deixar que o seu conhecimento impulsione de forma absolutamente justa a sua carreira. Nós, muitas vezes, sabemos muito mais do que o nosso cargo exige e somos remunerados abaixo do que poderíamos, pode ser porque não sabemos nem mesmo identificar o quanto sabemos ou não nos valorizamos o tanto que deveríamos.

Em minha carreira aprendi muito e passei a ser muito mais valorizado por compartilhar conteúdo. Tudo começou na "era de ouro dos blogs", quando comecei a conhecer e trabalhar com software livre. Logo conheci alguns blogs e resolvi criar o meu para compartilhar o que eu ia aprendendo e como solucionei alguns problemas que todo mundo tinha. Esse foi um passo importante para me engajar com as comunidades, para estar junto, para participar e palestrar em eventos compartilhando conhecimento acerca de software livre, Linux e demais soluções que eu utilizava. E foi isso que impulsionou o Vida de Programador quando eu o criei, assim como todas as mídias que vieram depois.

Mas não se sinta pressionado, faça um passo de cada vez. E se estiver totalmente perdido, pode falar comigo, a gente troca ideias e desabafa junto 😉

Sucesso para você!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre o Autor

Andre Noel é programador, webcartunista, autor do Vida de Programador, professor universitário (UEM e Unicesumar), youtuber e sabe pregar botões em roupas.

Sobre o Blog

Quem é de TI sempre recebe pedidos para criar "só um sisteminha simples". A gente sabe que nunca é simples. Por isso, aqui no blog vamos falar sobre o grande universo de TI --que às vezes é engraçado, às vezes é sofrido e muitas vezes é tudo isso.