PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Da organização à palestra, como é a dinâmica da era dos eventos online

Andre Noel

11/07/2020 04h04

Freepik

Eu já escrevi aqui uma vez sobre como gosto de eventos (congressos, conferências, seminários, etc.) e como isso ajuda em vários pontos da carreira.

Os eventos muitas vezes servem como terapia. Você precisa separar uns dois ou três dias, dependendo do deslocamento, você se enrola um pouco no trabalho, acumula tarefas para resolver depois, mas vale muito o esforço. A mudança de ares, encontrar as pessoas, ter contato com outras realidades e ver muito bom conhecimento transmitido dá uma energia, como se fossem mini férias, mesmo que você ainda volte cansado porque não parou um minuto no evento…

Mas e agora que os eventos presenciais se tornaram online? O que aconteceu com eles? Ainda valem a pena?

Bom, eu posso passar três pontos de vistas diferentes: um como quem gosta muito de ir e participar, outro como quem foi convidado a palestrar em evento online esse ano e ainda uma visão de quem está organizando um evento.

Participação em eventos online

Dos benefícios que eu listei acima na participação de eventos, parece que o único que se mantém é o compartilhamento de conhecimento, não? As palestras continuam, os eventos fazem o possível para manter palestras com a mesma qualidade e disponível de forma clara. Mas não é só isso.

O evento online "herda" algumas boas vantagens só pelo fato de ser online. Primeiro, você consegue participar de eventos que não poderia por acontecerem muito longe, por não ter liberação para viajar no trabalho, por falta de grana pras despesas… Então, o evento online se torna mais universal. Você abre uma tela e pode acompanhar enquanto faz o seu café no conforto da sua casa, enquanto está trabalhando você ainda pode acompanhar, pode escolher o ambiente melhor para isso. Pode ter um pouco menos de atenção, mas isso é possível de ajustar.

Em relação ao networking é diferente, mas ele ainda existe. Alguns eventos usam plataformas que permitem um chat entre os participantes durante a palestra. Até mesmo com o palestrante é possível falar e fazer perguntas durante a palestra, coisa que não seria feita em palestras presenciais. O palestrante administra se vai acompanhar as perguntas ou deixar para o final. E ainda tem eventos usando plataformas como o meet ou o zoom, permitindo muitas pessoas conectadas com a possibilidade de voz e vídeo, criando uma forma interessante de interação entre todos.

Então, você acaba adaptando sua experiência, mas fica até mais fácil de participar dos eventos.

Palestrando em eventos online

Desde que a pandemia iniciou, eu já fiz palestras e encontros online e a experiência é bem interessante. O primeiro onde palestrei nesse tempo foi no TDC Online (The Developers Conference) e eles proporcionam uma experiência incrível. Tem a área de palestrantes, tem chat durante a palestra, sessão de perguntas à parte após a palestra. É uma sensação diferente você preparar a sua casa, o seu "palco" para uma transmissão boa, mas tive a vantagem de já ter experiências gravando para o youtube e ministrando aulas online.

Confesso que sinto falta da reação da plateia durante a palestra, mas que a reação por chat também é muito boa e eu acho interessante a interação com quem está assistindo. Realmente, cada palestra se torna uma palestra única, porque a interação de quem está no chat muitas vezes conduz a palestra por caminhos ainda mais interessantes.

Além disso, em eventos ao vivo nos contentamos com expressões, suspiros e risos para "sentir" a opinião e o acompanhamento da plateia. Em palestras online são muitas opiniões que vêm através do chat, que podem inclusive serem analisadas depois, com mais cuidado. Você não costuma ter tanto retorno de ideias assim em eventos presenciais. Ontem mesmo palestrei na Campus Party Digital Edition, a convite do TILT, e foi uma experiência fantástica.

A organização de eventos online

Há dois anos estamos organizando eventos regionais, eventos pequenos, aqui em nossa região (Maringá-Pr) e a intenção sempre foi a de crescer, mas por aqui. Começamos com apenas um dia e uma trilha de PHP, no PHP Weekend by Vida de Programador. Depois, no ano seguinte, adicionamos a trilha "Digital Weekend", ainda num dia só. Nesse ano tornamos o evento online, como está acontecendo com a maioria dos eventos presenciais. O que aconteceu é que instantaneamente ele passou de um evento regional para um evento que pode ser acessado por qualquer ponto do universo (desde que haja conexão de internet).

Com isso, a própria ideia do evento cresceu, a possibilidade de trazer palestrantes aumentou bastante, porque havia problemas de agenda e de caixa para pagar as despesas. As despesas do evento todo ainda existem, mas diminuíram. Assim, o evento esse ano passou a ter dois dias, 20 palestrantes e a inscrição pode baixar também, para ficar praticamente simbólica (cobrindo despesas de organização, mimos para os palestrantes, etc.). E assim o evento virou "Vida de Programador Weekend", com vários temas diferentes e vai acontecer na semana que vem, nos dias 17 e 18 de julho.

Organizar eventos online facilita que muito pode ser feito diretamente online, menos saídas para resolver problemas e estruturas, mas gera várias outras preocupações: qualidade de conexão para assistir, qualidade de conexão para transmitir, quantas pessoas a plataforma aguenta ao mesmo tempo, como manter o pessoal com a gente durante o evento, como fazer as dinâmicas de "trocas de palco", etc. Acho que o frio na barriga só vai acabar depois que passar o evento e já deve voltar pensando na próxima edição 🙂

Mas e depois da pandemia?

Bom, ninguém sabe exatamente as surpresas do futuro, mas tenho a certeza de que as duas formas de eventos têm suas vantagens e desvantagens e que os dois devem coexistir com mais força depois que tudo estiver mais tranquilo. A experiência de eventos presenciais é única, tem alguns fatores que não dá pra substituir. Assim como a universalização e a comodidade de eventos online são imbatíveis. Acredito que vão surgir também mais modelos híbridos, como o TDC costuma fazer, presencial e online ao mesmo tempo.

No mais, espero que possamos nos ver no evento semana que vem e continuem se cuidando! 🙂

Sobre o Autor

Andre Noel é programador, webcartunista, autor do Vida de Programador, professor universitário (UEM e Unicesumar), youtuber e sabe pregar botões em roupas.

Sobre o Blog

Quem é de TI sempre recebe pedidos para criar "só um sisteminha simples". A gente sabe que nunca é simples. Por isso, aqui no blog vamos falar sobre o grande universo de TI --que às vezes é engraçado, às vezes é sofrido e muitas vezes é tudo isso.