PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Não é uma situação normal de home office, então como trabalhar em casa?

Andre Noel

28/03/2020 04h00

Freepik

Não é preciso falar do contexto em que vivemos, porque não se fala de outra coisa ultimamente. E é justificado, é um momento muito complicado para o mundo todo e, para falar a verdade, ninguém sabe direito o que fazer, estamos tentando fazer o nosso melhor nas nossas áreas.

Eu sei que estamos vivendo situações ligeiramente diferentes, dependendo da cidade e do estado. Alguns com mais restrições, alguns com menos. Onde eu moro fechou tudo o que não é essencial, inclusive com toque de recolher às 21h. Não é o foco aqui discutir as restrições, mas sobre como a gente está se adaptando e como trabalhar de casa.

Primeiro, precisa ficar bem claro para todo mundo que não estamos vivendo em situação normal de home office. Para começar um home office, você verifica se tem as condições necessárias para isso, se tem os equipamentos necessários, se há um ambiente propício para o trabalho, se a internet de casa está boa o suficiente e, o que acontece em muitas casas, se as crianças vão para a escola.

No momento atual, muitos foram apenas deslocados para um home office no bom e velho estilo "se vira". Estamos vivendo um momento de exceção, de adaptação. Não é apenas uma pessoa da casa que precisa de sossego e do computador para trabalhar, muitas vezes é necessário um revezamento. E além do mais, é a sua casa, precisa manter o trabalho todo funcionando, tem que manter a casa, a limpeza, o almoço, os consertos de emergência… Coisas que seriam muito diferentes em um tempo, digamos, "normal".

No que tudo isso implica? Implica que a produtividade não tem como ser a mesma de quando você estava trabalhando no escritório. Eu vejo várias pessoas (antes do confinamento) dizendo que rendem mais em home office, se organizam da forma em que acham melhor, ajustam horários e trabalham baseado nas demandas. Essa, definitivamente, não é uma realidade possível para muitos no momento.

Certo, mas o trabalho precisa ser feito. Como a gente faz?

O trabalho precisa e será feito, espero. O que a gente precisa agora é de um pouco de compreensão. O cuidado com as pessoas está sendo feito, de uma forma ou de outra, se podem ficar em casa. Mas se estamos cuidando das pessoas, porque é necessário e é um momento de crise, precisamos pensar nas pessoas antes de todo o resto.

Se todos estamos vivendo em exceção, não dá para exigir a mesma ou ainda mais produtividade. Não dá para ficar exigindo algo tão rígido, se antes seu funcionário comia um prato feito na esquina e agora tem que cozinhar o almoço para a família.

Algumas empresas, com o medo de que o funcionário não trabalhe, estão aumentando muito as exigências e reuniões apenas para ver se os funcionários estão disponíveis o tempo todo. Sim, o tempo todo. Cobrando entregas até mesmo fora do trabalho, diversas reuniões para falarem nada por uma hora e muitas empresas resolveram produzir lives diárias para se mostrarem presentes para um público que não tinha contato com elas mais do que uma vez por semana…

É um momento de nos unirmos pela humanidade, pela fragilidade da vida humana que nos deixa indefesos frente a uma ameaça invisível. Daqui uns dias teremos consequências permanentes dessa ameaça que vão nos forçar a mudar muito mais na nossa rotina. É um assunto sério, é um momento muito sério. Precisamos pensar no lado humano, apoiar iniciativas como a renda básica de emergência (que já foi aprovada), precisamos apoiar os comerciantes locais que estão suando para se manter, precisamos olhar com cuidado para a nossa faxineira, que não poderá vir, mas que a gente pode continuar pagando para que ela se cuide.

Invista em você, invista nas pessoas. O resto a gente consegue adaptar.

Vou deixar aqui um vídeo onde falei de algumas dessas coisas e do modelo de trabalho de confinamento office, ele é um pouco diferente do home office.

Eu gosto de vocês. Fiquem em casa.

Sobre o Autor

Andre Noel é programador, webcartunista, autor do Vida de Programador, professor universitário (UEM e Unicesumar), youtuber e sabe pregar botões em roupas.

Sobre o Blog

Quem é de TI sempre recebe pedidos para criar "só um sisteminha simples". A gente sabe que nunca é simples. Por isso, aqui no blog vamos falar sobre o grande universo de TI --que às vezes é engraçado, às vezes é sofrido e muitas vezes é tudo isso.